POLÍCIAREGIÃO

Ação policial termina com jovem baleado em Guanambi, radialista que registrava ocorrência foi impedido de exercer o seu trabalho

Uma ação da Polícia Militar na tarde desta quarta-feira (1º) terminou cheia de controvérsias por conta de possíveis erros de conduta dos policiais envolvidos. Além disso, um jovem foi baleado no joelho dentro de sua casa e um radialista foi impedido de exercer sua profissão de forma violenta enquanto registrava o ocorrido por um policial à paisana que participava da ação.

De acordo com o pai do rapaz, ele sofre de problemas psicológicos e pode ter corrido por ter medo da polícia.

A PM informou por meio de uma nota de esclarecimento que a ocorrência teve início após policiais atenderem a um pedido de averiguação no bairro Vomitamel. Populares teriam relatado que um homem estava passando constantemente em frente a uma academia de musculação e tal atitude teria deixado algumas mulheres que estavam no local com receio.

No local, segundo a polícia, os policiais aproximaram a viatura do homem em suposta atitude suspeita, momento em que ele saiu correndo a bordo da motocicleta que conduzia. Em seguida, foi feito um acompanhamento que terminou em frente à casa do jovem, a uma distância de 1,5 quilômetros aproximadamente.

Ele desembarcou da motocicleta e entrou no imóvel sendo perseguido pelos policiais e baleado na perna. Ainda de acordo com a PM, ao ser alcançado, o rapaz tentou se esquivar dos policiais, entrando em luta corporal, agredindo um dos agentes com um capacete e tentando pegar a arma de suas mãos, “momento em que o outro policial na tentativa de repelir a ação do suspeito desferiu um tiro de pistola no joelho dele, cessando a sua ação”, disse a nota.

Após o jovem ser baleado e contido pelos policiais, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e a vítima dos disparos atendida.

Do lado de fora, o pai do jovem disse ao radialista Fernando Alves que foi expulso de sua própria casa pelos policiais que teriam invadido o imóvel sem a sua devida autorização. Ele disse também que além de baleado, o filho foi agredido durante a ação.

Já o radialista conseguiu registrar apenas pouco mais de quatro minutos da ação. Em determinado momento, um policial começou a questionar de forma assertiva um homem, um sargento aposentado, que tentava consolar o pai do jovem. Enquanto os dois discutiam, a gravação do radialista foi bruscamente interrompida após um policial à paisana dar um tapa em sua mão e derrubar o celular no chão.

A PM informou que a ocorrência foi registrada na Delegacia e a Polícia Civil irá investigar o caso.

Em conversa com a imprensa, o comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar (17º BPM), Ten. Cel. Arthur Mascarenhas, disse que o comportamento dos policiais “não foi normal e muito menos correto”, e que está tomando as providências para resolver a situação gerada.

Fernando Alves, radialista com mais de 30 anos de atuação em Guanambi, disse à Agência Sertão que a atitude do policial à paisana que lhe deu um tapa na mão e derrubou seu celular foi recebida com surpresa e muita indignação. “A PM de Guanambi nos conhece e sempre respeitou o trabalho da imprensa. O comandante entrou em contato comigo e se desculpou pela atitude de seu subordinado em nome da corporação”, disse.

Na data de hoje (01.06), a Polícia Militar foi acionada através de populares informando acerca da presença de um homem que passava constantemente em frente a uma academia de musculação e que as mulheres que estavam naquele local estavam com receio.

Imediatamente o CICOM deslocou uma guarnição do 17º Batalhão para o local e assim que se aproximou viu um homem correndo a bordo de uma moto. Foi feita a aproximação e o referido suspeito subiu as escadarias de um prédio e ao ser alcançado tentou se esquivar da abordagem desferindo um golpe de capacete na cabeça de um dos policiais e entrando em luta corporal, tentando pegar a arma das mãos desse policial, momento em que o outro policial na tentativa de repelir a ação do suspeito desferiu um tiro de pistola no joelho dele, cessando a sua ação.

O SAMU foi acionado pelos policiais e prestou o devido socorro. Após o fato o pai do homem informou que o mesmo sofre de transtorno psicológico.

A ocorrência foi registrada na delegacia de polícia civil que irá instaurar inquérito para apurar o ocorrido.

 

Por Tiago Marques/Agência Sertão / faroldacidade / Foto: faroldacidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo