REGIÃO

Junho foi o mês de maior movimento no Aeroporto de Guanambi

O Aeroporto Isaac Moura Rocha, em Guanambi, registrou recorde de movimento pelo quarto mês consecutivo. Em junho, mês de férias escolares e de muitas festas na região, foram registrados 2.835 embarques e desembarques de passageiros.

Em relação a maio, o aumento foi de 7% no número de assentos vendidos. Já a taxa de ocupação dos voos foi bem maior, visto que o número foi reduzido por conta dos feriados. Foram 54 pousos e decolagens ligando a cidade ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte.

A ocupação média foi de 52,2 passageiros por voo, quase 75% dos 70 assentos disponíveis nas aeronaves ATR-72 da Azul Linhas Aéreas.

Desde o início da operação em 20 de setembro de 2021, até 30 de junho, 19.243 embarques e desembarques foram realizados em 404 pousos e decolagens. A ocupação média dos 402 voos entre Guanambi e Belo Horizonte nos dois trechos é de 68,32%.

As estatísticas da Anac indicam ainda que os passageiros pagaram em média R$ 389,97 por cada trecho no mês de maio, aumento de 12,6% em relação a abril. Os números de junho ainda não foram divulgados.

Primeiro voo vindo de Salvador
Junho também marcou o início da operação da Azul Conecta no Aeroporto de Guanambi. A subsidiária para voos regionais da companhia realizou o primeiro voo de Salvador para Guanambi e de Guanambi para Belo Horizonte em aeronaves Grand Caravan, com capacidade para nove passageiros.

O voo inaugural trouxe oito passageiros de Salvador e levou mais nove para Belo Horizonte. As operações estão ocorrendo aos sábados, em uma rota iniciada em Recife/PE, passando por Salvador/BA. Guanambi/BA e Belo Horizonte/MG, até Jundiaí/SP. Nos domingos é feito o sentido inverso.

Por conta de dificuldades de reabastecimento no Aeroporto de Guanambi, os voos têm ocorrido com escalas para abastecimento em Montes Claros/MG, ou até mesmo em Vitória da Conquista/BA.

A Azul chegou a incluir o voo direto de Guanambi para Montes Claros em seu site de vendas, no entanto, embora tenha ocorrido novas escalas para reabastecimentos nas semanas seguintes, não foram disponibilizados mais assentos para o trecho.

Pouso de emergência e voo cancelado
Pela primeira vez em mais de nove meses de operação e cerca de 450 pousos e decolagens, um avião que vinha para Guanambi precisou voltar ao Aeroporto de Belo Horizonte após apresentar problemas técnicos. Antes de pousar, o piloto sobrevoou uma região próxima em círculos para gastar combustível e fazer o pouso de emergência com mais segurança.

Por agenciasertao / Imagem Tiago Marques | Agência Sertão

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo