BRASIL

Preço da gasolina acumula alta de 42% desde 2019

Custo do combustível nas refinarias cai R$ 0,20 nesta quarta (20); nas bombas redução deve corresponder a R$ 0,5/litro

O preço da gasolina cai R$ 0,20 por litro nas refinarias da Petrobras nesta quarta-feira (20). A medida deve corresponder a menos R$ 0,15 nas bombas, segundo a Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis). Porém, mesmo com esta diminuição e a redução em razão das mudanças na tributação do ICMS, o combustível tem alta acumulada de 42% desde 2019, segundo levantamento do site Metrópoles.

O dado não considera a inflação do período, pois este cálculo exclui os cortes no preço de julho – como o mês não acabou, não há ainda a taxa inflacionária oficial. Se for descontado o IPCA até junho, a gasolina subiu 35% desde 2019.

Segundo o economista do Instituto Brasileiro de Economia (FGV Ibre), André Vaz, quando a pandemia surgiu o preço do barril do petróleo despencou devido a um excesso de oferta temporário (causado, na verdade, por queda na demanda). Quando a flexibilização das atividades começou, porém, houve disparada no preço dos barris.

“Todo mundo queria petróleo de repente, e a produção de petróleo não é apertar um botão e o petróleo se materializa. Então, essa procura mais alta do que a oferta justificou uma recuperação rápida dos preços”, acrescentou o pesquisador. A cotações internacional do barril de petríóleo e do interna do dólar (frente ao real) balizam a política de preços da Petrobras. A desvalorização da moeda brasileira também puxou para cima a variação da gasolina no período.

A guerra entre Rússia e Ucrânia também tem influenciado, por mexer na oferta. “Todos esses eventos colocaram a atividade produtiva com uma elevação bombástica de um custo que é essencial para a prestação de serviços e para a produção industrial”, conclui o economista.

Por bahia.ba / Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo